Inicio do Projecto para Centro de Convergência da Raia

Projecto para a implementação do Centro de convergência em transição e Permacultura - “Cultivar”
(Este projecto é apresentado neste formato quase integral e é permitido a replicação do mesmo em outras iniciativas, pleo que pedimos apenas e somente por questões éticas, que nos façam chegar o vosso pedido e façam as devidas referências)

A Educação ambiental actual estrutura-se em torno do objectivo global da biodiversidade e sustentabilidade. Esse objectivo é a sua razão de ser que não deverá ser esquecida. O de encontrar novos caminhos de relação com os sistemas vivos, que não comprometa a capacidade de regeneração e sustentação da vida sobre a Terra.

Neste sentido convém salientar que o desenvolvimento sustentável é um caminho onde se procura equilibrar três grandes sistemas: o ecológico, o social e o económico. 

Assim, uma educação promotora dum tal desenvolvimento terá de abarcar o conhecimento, a reflexão e a prática que permitam equilibrar estes três componentes da vida humana no tempo.

Assim e num contexto das actuais realidades sociais e culturais, é fundamental fornecer ao público algo que os livros e a tecnologia não podem – a aprendizagem experiencial. Se conseguimos projectar os modelos para que crianças e adultos conectem directamente com a natureza e os sistemas vivos, integrando essa experiência na atitude, estaremos a educar a geração actual e seguinte, que encaram ambientes sustentáveis mais como um ponto de partida do que uma mera possibilidade.

O LOCAL

Espaço de convergência CULTIVAR, na Quinta dos Salgueiros, Idanha-a-Nova onde se pretende sobretudo educar e criar envolvimento para a sustentabilidade, consciência e afectividade ao mundo Natural

“CULTIVAR BIODIVERSIDADE”: (Actividades na Natureza)
Actividades de divulgação, promoção e experimentação em modelos de gestão de recursos, no contexto da agricultura tradicional, auto-suficiência e Permacultura através da produção de vários cursos, campos de trabalho e oficinas práticas nos contextos temáticos seguintes

“CULTIVAR RAIZES” (actividades com idosos)
Com uma população maioritariamente idosa e pouco valorizada, as iniciativas neste contexto pretendem valorizar e integrar a população idosa, pela partilha da sabedoria e conhecimento ancestral, assim como torná-los membros participativos em várias iniciativas.

“CULTIVAR FOLHAS” (Actividades sociais)
Criação do grupo de Transição Idanha a nova e castelo branco

“CULTIVAR SEMENTES”(actividades crianças)
Terra das crianças
Um espaço de características especiais onde as crianças são livres  adultos não entram nem interferem. Nesta zona estarão sempre disponíveis uma oficina e materiais, espaços para jogos e situações de cenários naturais. Aqui a criança pode brincar livre, sem orientações descobrindo e explorando o meio e materiais sem interferências estimulando a autonomia, a criatividade, a auto estima e o sentido de afecto pela Natureza.

“CULTIVAR FLORES” 
actividades artísticas e culturais
Neste circuito ir-se-á promover a arte, cultura e criatividade, aplicadas aos temas antes referidos através de exposições itinerantes, espetáculos de teatro, musica e dança, land art, escultura, artesanatos, apresentação de filmes e documentários, etc
Este projecto será desenvolvido em parceria com o centro cultural raiano e outros organismos regionais a contactar.

“CULTIVAR ALMA”
Actividades de desenvolvimento pessoal, saúde e bem-estar
Conjunto de actividades vocacionadas para o público em geral e que tem como essência principal, a prática em grupo de varias disciplinas de auto-conhecimento e de terapias comportamentais e interiores.
Estas actividades ou iniciativas irão sendo dinâmicas de acordo com as pessoas que estiverem activas no processo.

O ESPAÇO FISICO  
O espaço pensado, pretendido e considerado será a quinta dos salgueiros, de 4 hectares cultiváveis, com floresta ripicula, árvores de frutos, varias pequenas lagoas e uma parte de floresta jovem. O espaço dispões também de algumas instalações construídas e situa-se a cerca 4 kilómetros de Idanha a nova. Na zona de regadio da campina de Idanha.

Temas a desenvolver ao longo do ano.
A fauna
A flora (no conceito que cada criança de 10 anos deveria conhecer pelo menos 100 plantas e seus usos)
Os habitats
A floresta
Jardinagem ecológica
Agua (como recurso e como habitat)
Energias
Solos
Astronomia e ciclos naturais
A construção sustentável
Upcycling - reutilização de objectos em criação de novas peças através do conceito de design
Reciclagem
Hortas ecológicas.
Pequenas construções ecológicas/artísticas e abrigos para fauna em quintais urbanos
Construção de instrumentos musicais em reciclagem
Marionetas em reciclagem
Construção de maquetas/paisagem com resíduos.
O consumo sustentável
A mobilidade sustentável
As relações sociais humanas de cooperação
As ONG e movimentos de cidadania como ferramentas de mudança
O Design como ferramenta de soluções
A ética cívica e ambiental

Iniciativas previstas

  • Produção de todo um programa de actividades multidisciplinares e interligadas, desenvolvidas com o objectivo principal de criar nos utilizadores e/ou visitantes, a sensação de contacto com uma cultura ainda viva que na sua dinamização e apresentação, privilegia a relação de respeito e afectividade entre natureza e humanidade. A sensibilização e educação para o ambiente e sustentabilidade.
  • Estimulo da criatividade, numa perspectiva de interacção, de modo a conseguir a valorização, promoção e sensibilização para estes três factores, e também para o que são as nossas raízes culturais.
  • Fortalecimento da consciência crítica do indivíduo e em consequência da sua atitude participativa na sociedade
  • Divulgar as temáticas ambientais da actualidade, disponibilizando informação, recursos educativos e actividades aos visitantes, incrementando a sua literacia ambiental;
  • Envolver a comunidade num processo de reflexão participada e consciente sobre os problemas ambientais locais e respectiva proposta de soluções, rumo ao exercício de uma cidadania efectiva;
  • Promover a aquisição de novos valores, atitudes e comportamentos face ao meio envolvente e o desenvolvimento de competências ambientais;
  • Incentivar a adopção de estilos de vida mais saudáveis e padrões de consumo mais sustentáveis, promovendo o aumento da qualidade de vida.
  • Valorização dos idosos como elementos de transmissão de valores e conhecimentos na sociedade
  • Actividades lúdicas e de integração social numa perspectiva de envelhecimento activo através de abertura de participação deste sector nas iniciativas gerais da quinta, quer como utentes quer como formadores e monitores
  • Relação intergeracional- No privilegiar o contacto dos idosos com as gerações mais jovens, numa partilha saudável e enriquecedora de conhecimentos, experiencias de vida e atitudes
  • Promoção e reabilitação de actividades tradicionais que em muitas situações têm em idosos os últimos redutos de conhecimento e experiencia antes de passarem a tema exclusivo dos museus. Os idosos e sua grande experiencia e mestria em muitas actividades de artes e ofícios antigos, serão encarados como formadores e monitores em curos e campos de férias para crianças assim como outras iniciativas abertas ao publico em geral
  • Este projecto será desenvolvido em parceria com a santa casas da misericórdia de Idanha a nova
  • Centro para iniciativas e encontros para estes movimento local, onde serão organizadas actividades do grupo e abertas á população nos contextos da sustentabilidade, auto-suficiência e promoção e valorização da resiliência a situações de constrangimento social, ambiental e económico.
  • Palestras
  • Agricultura e ecologia. Debate dos novos modelos e formas de fazer e estar na agricultura e produção de alimentos, a sua viabilidade como modelo de exploração, realização pessoal e benefícios ambientais
  • Sustentabilidade. O grande desafio do nosso milénio e da sobrevivência enquanto espécie. Os paradigmas, os problemas, mas principalmente as soluções, tanto na escala global como na escala individual de cada um.
  • Educação: A importância primeira da educação como formação de novas atitudes, posturas, sensibilidades e sobretudo, capacidades para os desafios a uma escala global, mas que partem inevitavelmente de cada individuo.

  • Oficinas e campos de férias
  • As mãos na terra. Ateliês e workshops de agricultura biológica e formas saudáveis de viver e tratar a terra, confecção de alimentos, etc.
  • Sabedoria dos povos da floresta A biologia, magia, terapia e tradições da floresta. Várias actividades (artesanatos vários, construção rústica, Pintura, escultura, etc.)
  • Sabedoria das árvores. Fomentar o respeito e alimentar o fascínio pelas árvores na natureza e também nas hortas e jardins da cidade, através do conhecimento, admiração, protecção e fomento).
  • As artes dos avós: divulgação e prática de muitas actividades tradicionais apresentadas pelos próprios idosos da região, quer através da prática e exercício lúdico-pedagógico, quer pelo modelo das historias á roda da fogueira, onde os idosos irão contar as suas historias de como foi toda a cultura e modo de vida popular.
  • Exibição de filmes documentários que elucidam e educam os cidadãos para a sustentabilidade, a cidadania participativa, a solidariedade social e a educação das novas gerações nestes contextos.
  • Encontros pedagógicos e de debate sobre Alimentos, Energias, Saúde, Bem-estar e Habitação.
  • Listagens das necessidades, da população local.
  • Lista de conhecimentos, habilidades e profissões locais dos envolvidos, como fontes de recursos.
  • Arquivos da história oral: recuperação de informações quando todos tinha um modo de vida com menos gastos de energia.
  • Organizar workshops diversos na área: da sustentabilidade, da gestão doméstica, do ambiente, da agricultura, dos ofícios tradicionais, da educação, da cultura, da pintura, da poesia.
  • Criação da horta e sistema de produção, transformação e conservação de alimentos
  • Celebrações regulares, normalmente relacionadas com os ciclos naturais, que tem como principal fim o estreitamento de laços entre a comunidade, a partilha de alegria de viver e atitude positiva em torno de um elemento e objectivo comum: a vivencia na cidade em espaço comunitário (exemplos; festas das sementeiras e das colheitas)
  • Criação de base dados e sistema de recursos de cooperação,  relativamente a actividades de solidariedade, transportes, crianças, etc., numa perspectiva de funcionamento no conceito como banco de tempo, ou trocas de serviços.

  • A realização de encontros de toda a comunidade no distrito de Castelo Branco, em que cada um poderá apresentar e transmitir a sua arte de se exprimir, na cultura, na poesia, na filosofia, na música, no desporto, na cozinha saudável, nas actividades de desenvolvimento pessoal ( yoga, biodanza, meditação ) na organização de caminhadas, etc
  • Para actividades temáticas, oficinas, Workshops de alimentação saudável com os produtos da terra, recuperação da sabedoria dos mais idosos, incorporando-os em actividades de transmissão de valores e saberes, histórias contadas, execução de trabalhos artesanais.  
  • Considera-se a existência de um espaço de exposição e venda de produtos resultantes das actividades artesanais, dos elementos do movimento de transição, (incluindo excedentes da horta em determinadas épocas do ano, assim como conservas, compotas etc.), estes produtos excedentes poderão ser trocados por outros serviços entre os elementos do movimento de transição e outros parceiros da freguesia.
  • Instalações de Land-art (arte na natureza) em acordo com artistas conhecidos.
  • Actividades lúdicas organizadas de sensibilização ambiental ou artístico cultural, Para os quais já existem alguns contactos estabelecidos (teatro de rua, musica, etc.)
  • As hortas existentes podem ser visitadas: de forma controlada e também servir como elemento pedagógico, de aprendizagem e desenvolvimento pessoal do ponto de vista de abrir outras perspectivas e ampliar os conhecimentos para aplicar num modo de vida mais sustentável.


1 comentário:

fernando costa disse...

grande iniciativa. gostava de estar mais perto para puder espreitar de vez em quando.
parabéns e prosperidade para todos.