Práticas Multidimensionais Integradas




DESTINATÁRIOS:
Formandos | terapeutas | praticantes de Terapia Multidimensional
quer tenham completado curso com Sofia Guerra ou com outro formador.

Os 2 dias de Práticas Multidimensionais Integradas foram criadas no seguimento do Curso de Terapia Multidimensional Integrada "O Caminho do Coração" e têm como

PROPÓSITO:
- Integrar a prática de Terapia Multidimensional com outras práticas ou abordagens terapêuticas exercidas pelos participantes.
- Incentivar a descoberta, estruturação ou consolidação de métodos integrativos personalizados, consoante as ferramentas específicas de cada participante.
- Meditações e sintonizações em grupo para actualização e Upgrade de iniciações (para aqueles que tenham feito o curso de Terapia Multidimensional com outros formadores ou com carga horária mais reduzida).
- Ampliar o potencial de presença e interconectividade pela prática em contacto directo com a Natureza.
- Partilhar conhecimentos e experiências entre terapeutas.
- Partilhar e ampliar visões sobre estudos de caso.
- Práticas integradas a pares, em grupo e à distância.
- Meditações para irradiação de intenções e cura planetária.
No último dia do encontro - 16 Agosto - abrimos também a possibilidade para pessoas de fora se juntarem a nós e receberem cura sem qualquer custo.
Se tiver interesse contacte-nos:
projecto.regenerar@gmail.com
_______________________
LOCAL: IDANHA-A-NOVA
Quinta dos Salgueiros : : Projecto Regenerar
_______________________
PARTICIPAÇÃO: 80
Este valor inclui:
- Trabalho e acompanhamento terapêutico durante os 2 dias
- Alojamento em camarata ou tenda + alimentação (2 dias/ 1 noite).
[Alojamento em quarto privado acresce 15€/noite]

: : Caso tenha interesse em fazer a FORMAÇÃO COMPLETA consulte o programa do Curso de Terapia Multidimensional Integrada "O Caminho do Coração", que decorrerá nos dias que antecedem estas práticas:
https://projectoregenerar.blogspot.pt/2017/06/formacao-e-desenvolvimento-pessoal.html
__________________________________________________
FACILITADORA | FORMADORA: Sofia Guerra
Psicóloga, Formadora, Terapeuta e Consultora Holística
__________________________________________________
PARA MAIS INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES CONTACTE:
Sofia 913 273 862
projecto.regenerar@gmail.com

FORMAÇÃO e Desenvolvimento Pessoal



Este é um curso dirigido a todos aqueles que tenham como intenção viver no e através do Coração. Um profundo trabalho de reconhecimento e unificação com aquilo que É e preparação energética para se tornar terapeuta, ampliar as suas aptidões multidimensionais, libertar-se de véus e padrões limitativos e sintonizar-se com o seu estado original de Presença e Neutralidade. Neste curso são reactivadas as estruturas energéticas que lhe permitem, por um lado, sentir de forma cada vez mais completa o seu ser multidimensional e, por outro, trabalhar directa e autonomamente com as equipas espirituais e com as dimensões mais elevadas de si próprio, em prol da auto-cura e da cura de todos os seres, em reconhecimento da Unidade.

O trabalho tem por base os ensinamentos e frequências de cura canalizados por Hélène Abiassi (fundadora da Terapia Multidimensional). Acrescem novas iniciações, activações, sintonizações e informações que venho recebendo dos Seres de Luz, Mestres da Unidade e Corpos Mestres, incluídas no programa por sua indicação. O módulo adicional (4º dia de curso - facultativo) contempla ainda estudos de caso e exercícios práticos de complementaridade entre a Terapia Multidimensional e outras abordagens terapêuticas exercidas pelos participantes, incentivando a que cada um se mantenha fiel, em simultâneo, à sua forma própria e única de ser canal e ao estado de Neutralidade.

É importante também referir que este curso não se destina apenas a terapeutas ou à formação de terapeutas. Cada ser é um canal único e específico e um elemento chave na continuidade da ordem cósmica, na possibilidade do Universo se (re)conhecer continuamente em si mesmo. Nesse sentido este curso dirige-se a todos os que sintam em si o apelo de se libertarem de padrões que (identificados ou não) condicionam a expressão e manifestação genuína da sua essência no aqui-e-agora, abrindo-se assim às possibilidades da Vida vivida de forma plena.

Todas as Iniciações são canalizadas, assim como parte dos ensinamentos, pelo que a ordem e conteúdos do programa se adaptarão à especificidade do grupo e de cada um dos participantes.
Todos os conteúdos do programa são trabalhados e objecto de cura individual e de grupo no período que antecede a formação, durante e após a mesma.
__________________

12, 13, 14  e 15 AGOSTO 2017

IDANHA-A-NOVA - Quinta dos Salgueiros : : Projecto Regenerar

DURAÇÃO: 36H


EARLY BIRDS (até 15 Julho): 370€
APÓS 15 JULHO: 410€
Valor inclui alojamento em camarata ou tenda + alimentação.
__________________


PROGRAMA
Apresentações
Declaração de intenções
Conexão com a Terra e Sintonização com a Presença Divina

I. O QUE É A TERAPIA MULTIDIMENSIONAL?
A Ascensão enquanto integração da divindade na matéria
“Ser curador é curar-se a si mesmo”. Reconhecimento de mim mesmo através do outro
O reconhecimento último: não há nada a ser curado.
O Coração e as raízes
Porquê o coração?
Chacra do coração | Coração Multidimensional
Importância e multifuncionalidade das raízes e do ancoramento
Importância da matéria, da 3ª Dimensão e do corpo físico
Aprender a fazer "nada"
A neutralidade e o campo das infinitas possibilidades
O Duplo
A Fé e a Entrega em Terapia Multidimensional
A mente ao serviço do coração
A intenção de cura
As dimensões e a nossa multidimensionalidade
Terapia Multidimensional - Terapia evolutiva

II. INICIAÇÕES - CONTEXTUALIZAÇÃO, SINTONIZAÇÃO E TRABALHO DE CURA
Iniciação à Chama Violeta - por mestre Saint Germain
Iniciação à Luz Azul de Sírius – por mestre Adama, golfinhos e baleias e os seres azuis de Sírius
Iniciação à Energia Rosa de Órion – por Lady Vénus, pegasus e os cavalos
Activação da Chama Trina UPGRADE - pelos Cavaleiros da Luz
Iniciação de Comunicação com os Animais UPGRADE - por S.Francisco de Assis
Iniciação de Comunicação com as Árvores UPGRADE - pelo Conselho Druídico das Árvores
Iniciação às Pétalas de Rosas – por Rainha Santa Isabel
Iniciação à Paz da Unidade com Deus – por Arcanjo Miguel
Iniciação à Flor da Vida UPGRADE
Iniciação à Integridade da Ordem Cósmica UPGRADE - pelos Emissários de Luz das Pleiades
Iniciação à Irmandade da Rosa UPGRADE - pelo Conselho das Grandes Mães e Emissários da Mãe Divina
Iniciação ao Coração de Lys-Fátima UPGRADE - por Mãe Maria
Iniciação das Maçãs / Reconexão com a Árvore da Vida – por mestre Adama
Activação de imunidade às radiações - por Kryon
Iniciação de Abertura do Coração Multidimensional às dimensões da neutralidade, do amor e da unidade – pelos mestres Sananda (Jesus) e Sanat Kumara
Activação da Pineal e do Eixo da Unidade UPGRADE - pela energia sagrada das tartarugas e Mestres da Unidade
Sintonização com as Chaves Venusinas UPGRADE - por Sanat Kumara e a Ordem Kumara de Vénus
Iniciação à Paixão de Cristo UPGRADE - por mestre Sananda (Jesus)
Sintonização com o Templo de Amun-Ra (Egipto) UPGRADE
Iniciação ao Ankh UPGRADE - por mestre Thoth
Iniciação à Ordem Inca de Machu Pichu dos 7 Raios do Arco-Iris
Iniciação à Criança Solar UPGRADE
Conexão com o Sol Central e Atribuição da Equipa Espiritual de Cura - por mestre Sanat Kumara
Activação da Esfera de Vibração Integral e da Merkabah Pessoal UPGRADE

III. AS LEIS DIVINAS. CÓDIGOS DE ÉTICA E DEONTOLOGIA CÓSMICA
A Paz
A Aceitação
O Perdão
A Compaixão e o Não-Julgamento
A Misericórdia Divina
A Lei do Karma e a Ordem Divina
O Livre Arbítrio e o respeito pelo Plano Divino
Iniciativa vs Entrega. Controlo vs Intenção

IV. INICIAÇÕES DA 4ª DIMENSÃO (por Mestre Jesus - Sananda):
Autorização de circulação nos mundos astrais e contactos de ajuda de luz.
Autorização para fazer limpezas de magias negativadas e ajuda dos Seres de Luz.
Iniciação de imunidade a energias densas da 4ª dimensão UPGRADE
Activação, a partir da 4ª dimensão, dos chakras de 0 a 8 para serem portais interdimensionais de evacuação de energias densas.

V. INICIAÇÃO AO TEMPO BRANCO UNIVERSAL - UPGRADE

VI. O TRABALHO DAS EQUIPAS ESPIRITUAIS EM TERAPIA MULTIDIMENSIONAL
Serviço aos corpos emocionais e mentais
Cura e ascensão dos medos
Cura da auto-estima e auto-confiança
Equilíbrio de polaridades
Activação|Reconexão do DNA espiritual
Ampliação da comunicação multidimensional
Reconexão com Eu Superior
Serviço à alma, ao espírito, à monada
Os resgates: resgate de corpos; resgate da alma; resgate do juízo; resgate da criança interior; resgate do coração; resgate da missão; resgate de seres
Cura de memórias. Transmutação de memórias celulares
Cura de aspectos de vidas passadas | paralelas | futuras | da vida actual | entre vidas
Cura à linha genética
Rescisão de contratos
Limpeza de magias
Desobcessões e encaminhamentos
Limpeza de implantes, chips e outros dispositivos
Limpeza de energias parasitas
Limpezas e sintonizações intergalácticas
Limpeza dos cristais do corpo
Limpeza e alinhamento dos chacras
Cura das raízes
Activação dos Corpos de Luz
Sintonização dos Corpos Mestres
Activação e integração dos códigos de Gaia
Activação e integração dos códigos interestelares de cura

VII. QUESTÕES PRÁTICAS EM TERAPIA MULTIDIMENSIONAL
Lidar com as energias antes da terapia
Preparar o espaço
A postura do terapeuta e do cliente
A entrevista, o tratamento e o relatório
Protecção vs Presença
Duração da terapia
Regularidade
A energia de troca
Terapia Multidimensional aplicada a pessoas, animais, espaços, etc
Limites pessoais e escuta interna
Terapia à distância
Clínica de TMD
Complementaridade com outras terapias

VIII. EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
Exercício da Rolha.
O Abraço da Paz.
Testemunhando as dinâmicas invisíveis numa TMD: Constelação Multidimensional.
Exercícios práticos de Terapia Multidimensional presenciais e à distância.

Graduação e entrega dos diplomas
Agradecimentos e entrega ao universo ♥


MÓDULO ADICIONAL - INCLUÍDO NA FORMAÇÃO (facultativo)
- aberto a todos os que tenham completado a formação em Terapia Multidimensional (mesmo que com outro formador):
Partilha de conhecimentos entre terapeutas.
Estudos de caso.
Exercícios práticos de Terapia Multidimensional em complementaridade com outras técnicas terapêuticas utilizadas pelos participantes, 
a pares e em grupo.

_______________________

FORMADORA: Sofia Guerra
Psicóloga | Formadora | Terapeuta e Consultora Holística
Saiba mais sobre a Sofia em http://almasemente.blogspot.pt/p/contactos.html


__________________________

EARLY BIRDS (até 15 Julho): 370
APÓS 15 JULHO: 410
Apenas módulo adicional: 50
Reciclagem: 250***

Valores incluem alojamento em camarata ou tenda + alimentação.
[Alojamento em quarto privado acresce 15€/noite]

* Esta formação inclui Certificado de Terapeuta e Manual Digital.

**
É necessária a participação em todos os conteúdos programáticos para a atribuição do Certificado e do Manual Digital.
*** Consideramos Reciclagem a participação de todos os que tenham anteriormente frequentado esta formação com a Sofia ou com a Hélène Abiassi.A Reciclagem não inclui o Módulo Adicional.


____________________________________________


PARA MAIS INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES CONTACTE:
Sofia 913 273 862
projecto.regenerar@gmail.com

Ação de Formação O EDUCADOR AMBIENTAL


“Nenhuma semente acorda árvore no dia seguinte.”

Esta Ação de Formação procura colocar a temática ambiental como objectivo primeiro da prática da acção humana, contribuindo assim para a articulação e manuseamento de ferramentas/recursos em diferentes contextos e realidades, na dinamização/intervenção de acções na área da Educação Ambiental (EA), reflectindo e reposicionando a sua gestão e planeamento sustentável.

PROGRAMA BASE
Fundamentação histórica da Educação Ambiental (EA)
Metodologias em EA
Atuação em EA

COMO?
Aprofundar a consciência do eu e do mundo envolvente;

Estabelecer relações com as emoções e a comunicação;
Promover a exploração dos sentidos no processo criativo;
Consciencializar sensações e conseguir partilhá-las através do processo artístico;
Promover a descoberta individual ao nível do desenvolvimento cognitivo e sensitivo da capacidade de expressão criativa, bem como a articulação de acções conjuntas em grupo tendo por base a experiência in loco.

PÚBLICO-ALVO
Todos os interessados que pretendam desenvolver, capacitar e inovar a Educação Ambiental para a Sustentabilidade.

FORMADORAS
Mariana Cruz e Sara Velho

* Esta Ação de Formação inclui Certificado em Educação Ambiental (EA)

______________________

DATA: 29 e 30 JULHO 2017
9h-13h e 14h30 -18h30

CONTRIBUIÇÃO
Valores éticos (2 dias):
Formação: 60
Alimentação: 20

Se pretender alojamento no local (valores por noite):
Tenda/caravana: 3
Dormitório/camarata: 6
Quarto privado (Cama casal): 20

_____________________________________________
LOCAL: IDANHA-A-NOVA - Quinta dos Salgueiros

https://www.google.pt/maps/place/39°54'30.0%22N+7°14'23.8%22W/@39.9083333,-7.240888,303m/data=!3m2!1e3!4b1!4m5!3m4!1s0x0:0x0!8m2!3d39.908331!4d-7.239956?hl=pt-PT

_______________________________
+ INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES:
projecto.regenerar@gmail.com
966237047

Documentário - Portugal Terra - A Natureza em Portugal HD

Este maravilhoso cantinho do planeta que urge valorizar e proteger mais, para que maravilhoso continue a ser!



O Lince-Ibérico (Parte II)

Este magnifico felino da nossa fauna, tem atravessado um longo período de dificuldade, em que a sua existência seja compatível com a avidez e intolerância humana para com as outras espécies.

Cabe a cada um de nós fortalecer esta atitude, que possibilite estas maravilhas da evolução continuarem a partilhar connosco as paisagens do pais.


Portugal Selvagem - O Magnifico Lobo Ibérico



O lobo ibérico
Actualmente, estima-se que vivem na Península Ibérica entre 2.000 e 2.500 lobos. É o maior contingente da Europa ocidental.

Importa manter toda uma consistência na estratégia de conservação desta espécie, que indirectamente implica a conservação de habitats e muitas outras espécies selvagens

Em Portugal o cenário é mais pobre que em Espanha, mas ainda existe uma pequena população, que poderá vir a aumentar se existirem as condições e sobretudo a tolerância humana para tal.

Todos fazemos parte disto...



CARL SAGAN - Who Speaks for Earth?

Carl Sagan: Quem pode salvar a Terra?
O que o mundo mais precisa não é apenas de um novo sistema político ou econômico, e sim de uma nova visão de mundo, uma compreensão básica de quem nós somos como seres humanos e qual é o nosso lugar no cosmos. Falta mais pensamento crítico e, acima de tudo, falta empatia. Se colocar no lugar do outro.




O nosso primeiro filme de apresentação

Com toda a satisfação, compartilhamos aqui o nosso primeiro teaser dos primeiros 3 meses de actividade do projecto!

Gratidão para todos os que estão a tornar isto possível e que aqui aparecem referenciados!


video

Espécies selvagens no espaço Regenerar- Pica-pau malhado pequeno

Fonte : http://naturlink.pt/article.aspx?menuid=55&cid=91412&bl=1&viewall=true#Go_1
Com o comprimento aproximado de um pardal, o Pica-pau-malhado-pequeno é o pica-pau mais pequeno da avifauna europeia. Descubra algumas das características e distribuição desta ave peculiar.
CARACTERÍSTICAS E IDENTIFICAÇÃO
O Pica-pau-malhado-pequeno Dendrocopos minor é uma ave da ordem dos Piciformes. É o pica-pau mais pequeno da avifauna europeia, apresentando dimensões entre os 14 e 16,5 cm. Este pica-pau muito pequeno apresenta um corpo “rechonchudo”, cabeça arredondada e bico curto e aguçado na extremidade. As partes superiores são de cor negra com barras brancas nas asas e nas costas. A barra preta na parte lateral da cabeça não alcança a coroa. Os flancos são ligeiramente malhados. O macho apresenta uma mancha vermelha na coroa, sendo lateralmente bordeada a preto. As fêmeas não apresentam nenhuma mancha vermelha na sua plumagem.
DISTRIBUIÇÃO E ABUNDÂNCIA
O Pica-pau-malhado-pequeno é uma espécie de distribuição paleárctica sendo na generalidade uma ave sedentária. A sua área de distribuição estende-se desde o Norte de África, por quase toda a Europa, até ao Extremo Oriente. Na Europa, as variações populacionais são atribuídas a alterações do habitat e a variações temporais na disponibilidade alimentar. Em Portugal, a distribuição conhecida é muito fragmentada e descontínua, provavelmente devido às dificuldades de detecção associadas a esta espécie, mas também devido a diferenças de habitat.

ESTATUTO DE CONSERVAÇÃO
A nível europeu as populações desta espécie não se encontram ameaçadas. No entanto, e pelo facto de apresentar uma área vital relativamente grande (ca. 50 hectares) é sensível à fragmentação dos habitats. Na Península Ibérica encontra-se catalogado com o estatuto de “Indeterminado” em ambos os Livros Vermelhos Ibéricos. Os principais factores de ameaça são a degradação dos biótopos florestais e a exploração intensiva dos recursos lenhosos e associados.
HABITAT
Em Portugal encontra-se sobretudo, associado a sistemas florestais e agro-florestais. Nos primeiros destacam-se os carvalhais, os sobreirais (link à ficha) e as matas ripícolas de choupo e salgueiro. No Centro e Sul do território nacional frequenta ainda meios agro-florestais relativamente densos, destacando-se os montados de sobro e os montados mistos de sobreiro com pinheiro-manso. Parece evitar bosques de resinosas.

ALIMENTAÇÃO
Alimenta-se de invertebrados que retira dos buracos ou saliências dos trocos e ramos das árvores, como sejam larvas de escaravelhos, moscas diversos aracnídeos, etc. Por vezes captura os insectos em vôo. Também consome pequenos frutos silvestres.

REPRODUÇÃO
Os ninhos desta espécie são construídos por ambos elementos do casal, consistindo num buraco no tronco de uma árvore ou, mais ocasionalmente, num poste de madeira. As posturas variam normalmente entre 4 a 6 ovos (mais raramente 3 a 8) e o período de incubação prolonga-se entre os 11 a 12 dias sendo esta realizada tanto pela fêmea como pelo macho. Cada casal apenas efectua uma postura por ano. As crias permanecem no ninho durante 18 a 20 dias.

MOVIMENTOS
É uma espécie essencialmente sedentária. Contudo, nas regiões mais setentrionais da sua área de distribuição podem ocorrer movimentos dispersivos entre os meses de Agosto e Novembro que, excepcionalmente, podem provocar movimentos eruptivos. Também pode realizar movimentos altitudinais.
LOCAIS DE OBSERVAÇÃO
É difícil estabelecer zonas em que esta espécie possa ser observada com toda a segurança. Muito provavelmente, um dos melhores locais para a observação desta espécie no nosso País é a bacia do Sado. Destacamos por exemplo, a Herdade do Pinheiro e outras áreas de montado adjacentes ao Estuário do Sado. A Serra de Grândola e áreas envolventes também são locais a ter em consideração. Por fim, destacamos o Barranco Velho na Serra do Caldeirão (concelho de Loulé, Algarve). Note-se que esta espécie é mais facilmente localizada através do seu chamamento pelo que aconselhamos o seu conhecimento prévio.

CURIOSIDADES
Este pica-pau por vezes pode ser observado a alimentar-se em “bandos mistos” compostos por diversas espécies de chapins Parus spp., estrelinhas Regulus spp. E outros passeriformes, sobretudo durante o Outono-Inverno.


BIBLIOGRAFIA

Cramp, S. (1985). The Birds of the Western Palearctic, vol. IV. Oxford University Press, Oxford.

Elias, G.L.; Reino, L.M.; Silva, T.; Tomé, R. e Geraldes, P. (1999). Atlas das Aves Invernantes do Baixo Alentejo. Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, Lisboa.

Díaz, M. Asensio, B. e Tellería, J.L. (1996). Aves Ibéricas I. No Paseriformes. J.M. Reyero Editor, Madrid.

Espécies selvagens no espaço Regenerar - Pisco

Fonte : http://naturlink.pt/article.aspx?menuid=55&cid=68928&bl=1&viewall=true#Go_1


O Pisco-de-peito-ruivo é um pequeno e atraente passeriforme, bem conhecido pela sua mancha alaranjada que lhe ornamenta o peito. É uma das aves portuguesas que mais alegra os dias de Inverno, com o seu canto melodioso e persistente.

IDENTIFICAÇÃO E CARACTERÍSTICAS
O Pisco-de-peito-ruivo Erithacus rubecula é um pequeno Passeriforme da família Turdidae. Tem cerca de 14 cm de comprimento (mais ou menos como um Pardal), e pesa entre 15 e 20 gramas. É uma das aves portuguesas mais fáceis de identificar. Geralmente observa-se saltitando pelo chão (por vezes imobilizando-se com uma pequena "vénia"), ou poisado nos ramos baixos de uma árvore, adoptando sempre uma posição muito vertical com o corpo. Tem no peito uma grande mancha côr-de-laranja bem demarcada, que se estende até à face. As restantes partes inferiores são de um branco sujo, e por cima é de um castanho uniforme. As aves jovens são malhadas de castanho por baixo, e não apresentam tons alaranjados. É impossível distinguir os machos das fêmeas com base na morfologia externa, embora os primeiros sejam, em média, ligeiramente mais corpulentos. As suas vocalizações são consideravelmente variadas. O canto é muito melodioso, variado, e por vezes um pouco melancólico. É muito vocal, e pode fazer-se ouvir durante quase todo o ano. Para além do canto propriamente dito, emite chamamentos que podem soar como tic-tic-tic-tic, ou szziiiii.
DISTRIBUIÇÃO E ABUNDÂNCIA
É uma ave tipicamente europeia, embora também ocorra no Médio Oriente e Norte de África. Em Portugal a sua distribuição é variável, conforme a altura do ano. No Outono/Inverno encontra-se por todo o lado, das montanhas às cidades, do norte ao sul, e do interior ao litoral. Na Primavera/Verão tem uma distribuição alargada a norte do Tejo, mas a sul é escasso, concentrando-se nas regiões mais húmidas e próximas do litoral. Encontra-se, por exemplo, nas Serras da Arrábida, Grândola e Monchique. Na Madeira e na maioria das ilhas do Açores está presente todo o ano. É uma ave muito abundante (uma das mais abundantes no país), sobretudo durante a época fria.

ESTATUTO DE CONSERVAÇÃO
Comum como é, por toda a Europa, esta ave não suscita quaisquer preocupações no que diz respeito à sua conservação, tanto a nível nacional como internacional. Isto apesar de ser fácil de apanhar em armadilhas ("ratoeiras"), e portanto tradicionalmente bastante perseguido no campo. Esta perseguição ainda hoje se verifica, apesar do Pisco-de-peito-ruivo ser, como quase todos os pequenos Passeriformes, protegido por lei.

HABITAT
Tanto de Verão como de Inverno o Pisco-de-peito-ruivo surge numa enorme variedade de habitats, desde que tenham algum grau de cobertura arbórea ou apenas arbustiva. Encontra-se desde as matas agrestes no alto das serras do norte até ao centro das grandes cidades. No norte e centro tanto pode ser abundante em matas de folhosas como em coníferas. No entanto, nas áreas de invernada do sul é bastante mais numeroso em áreas de montado do que em pinhais. Nesta época também é extraordinariamente abundante em áreas de matagal mediterrânico, como os da Serra da Arrábida, e em olivais. Em regiões muito abertas, à partida inóspitas para a espécie, coloniza facilmente pequenas sebes ou qualquer vegetação que proporcione um abrigo mínimo. Durante a reprodução prefere zonas sombrias e com alguma humidade, como bosques fechados, jardins frondosos e matas ribeirinhas.

ALIMENTAÇÃO
Na Primavera/Verão o Pisco é quase exclusivamente insectívoro. Na verdade esta designação genérica significa que se alimenta não só de insectos, mas também de pequenas aranhas e outros invertebrados. Durante o Outono e Inverno, particularmente no sul da Europa, incluindo Portugal, torna-se parcialmente ou totalmente frugívoro. Nesta altura as suas fezes são negras ou côr de vinho, das cascas e polpas dos pequenos frutos ou bagas que ingeriu. Alimenta-se então das bagas de muitas espécies dos matagais mediterrânicos, como zambujeiros (ou oliveiras), aroeiras, medronheiros, madressilvas e folhados, entre outros. Nas áreas de montados ingere frequentemente partes de bolotas que foram parcialmente despedaçadas por outros animais. No norte da Europa também aceita alimentos sintéticos que lhe são oferecidos pelos amigos dos pássaros. Em períodos particularmente difíceis podem mesmo aventurar-se a apanhar minúsculos peixes em pequenos cursos de água.
REPRODUÇÃO
A nidificação desta espécie quase não foi estudada em detalhe em Portugal, havendo ainda muito por descobrir. Sabemos que a maioria cria de Abril a Julho, mas ocasionalmente podem ser observados ninhos activos no Outono ou mesmo em pleno Inverno. Por exemplo, o ornitólogo inglês William Tait observou uma ave jovem recentemente saída do ninho em 4 de Janeiro de 1884, nas imediações do Porto. Esta espécie é monogâmica e territorial. Os ninhos podem localizar-se em buracos no solo, taludes, muros, por entre raízes de árvores velhas e no interior de casas abandonadas. O ninho é volumoso, com uma base feita de folhas secas, e uma "tijela" central de musgo, ervas e pequenas folhas, revestida de material mais fino, incluindo cabelos, fibras vegetais e ocasionalmente penas. A postura geralmente é constituída por 4 a 6 ovos brancos ou ligeiramente azulados, com um número variável de pequenas manchas avermelhadas. A incubação dura 13 a 14 dias, e as crias permanecem no ninho em média cerca de 13 dias antes de o abandonarem.


MOVIMENTOS
Os Piscos-de-peito-ruivo que nidificam em Portugal são provavelmente quase todos sedentários. Por outro lado, os que aqui vêm apenas para passar o Inverno, são migradores bastante notáveis. Muitos são originários da Escandinávia, ou mesmo da Rússia. Muitos outros provêm da Europa Central e Ocidental. As primeiras aves migradoras geralmente surgem na última semana de Setembro e a espécie torna-se abundante logo desde o princípio de Outubro. Em Março dão-se a maior parte das partidas de volta às áreas de reprodução, embora algumas aves possam ainda permanecer nos territórios de invernada até ao princípio de Abril. Muitos dos Piscos invernantes voltam aos mesmos locais de invernada em Portugal de uns anos para os outros, conforme foi possível confirmar graças a estudos de anilhagem.

LOCAIS DE OBSERVAÇÃO
Pelo menos durante o Inverno, o Pisco-de-peito-ruivo pode observar-se em qualquer local, incluindo parques e jardins nas vilas e cidades.
CURIOSIDADES
Este é um dos poucos Passeriformes europeus em que as fêmeas cantam regularmente, durante o Inverno, com vocalizações muito semelhantes às dos machos. Os níveis de hormonas masculinas nas fêmeas são então muito elevados. Provavelmente graças a isto, tantos os machos como as fêmeas podem defender territórios nas áreas de invernada.
BIBLIOGRAFIA

Catry, P., R. Rebelo, M. Lecoq 1 A. Campos (1999). Diferenças marcadas na actividade vocal de piscos Erithacus rubecula invernantes em biótopos distintos. Resultados preliminares. Actas do II Congresso de Ornitologia da SPEA. SPEA, Lisboa.

Cuadrado, M. (1995). Site fidelity and territorial behaviour of some migratory passerine species overwintering in the Mediterranean area. Tese de Doutoramento, Universidade de Lund.

Lack, D. (1945). The life of the robin. Whiterby, London.
Rufino, R. (Coord.) (1989). Atlas das aves que nidificam em Portugal Continental. CEMPA. SNPRCN, Lisboa.

Schwabl, H. (1992). Winter and breeding territorial behaviour and levels of reproductive hormones of migratory European robins. Ornis Scandinavica 23: 271-276.

Snow, D.W. e C.M. Perrins (1998). The Birds of the Western Palearctic. Concise Edition. Oxford University Press, Oxford.

Retiro de Meditação Budismo Theravada




23 - 25 DE JUNHO 2017

Este retiro será orientado por Ajhan Dammiko, monge no Mosteiro Budista Sumedharama -
Tradição Tailandesa da Floresta.

Saiba mais sobre o Mosteiro e esta tradição em http://sumedharama.pt/
___________________________________________________


PROGRAMA
Aos participantes, pede-se que compareçam sem falta até às 19h do dia 23 - Sexta-Feira, para fazerem o registo.

Sexta-Feira, 23 de Junho:
19h00 - Registo ao entardecer, seguido de Puja, Meditação e Palestra/orientação.

Sábado, 24 de Junho:
5h30 – Meditação, seguida de cântico às 6h00.
6h30 – Preparação do pequeno-almoço.
7h00 – Pequeno-Almoço.
8h – Tarefas matinais (lavar loiça, varrer, limpar, arrumar, etc - o que for necessário ajudar)
8h30 – Meditação orientada sentada.
9h15 – Meditação a caminhar.
10h00 – Meditação sentada.
10h45 até 11h15 – Meditação a caminhar.
11h30 – Almoço.
14h00 – Meditação sentada.
14h45 – Meditação a caminhar.
15h30 – Meditação sentada.
16h15 – Meditação a caminhar.
17h – Chá / recolhimento / silêncio.
19h30 – Meditação/Puja da noite e perguntas/respostas.

Domingo, 25 de Junho:
5h00 – Meditação seguida de cântico às 6h00.
6h30 – Preparação do pequeno-almoço.
7h00 – Pequeno-Almoço.
8h – Tarefas matinais (lavar loiça, varrer, limpar, arrumar, etc - o que for necessário ajudar)
8h30 – Meditação orientada sentada.
9h15 – Meditação a caminhar.
10h00 – Meditação sentada.
10h45 até 11h15 – Meditação a caminhar.
11h30 – Almoço.
14h00 – Meditação sentada.
14h45 – Meditação a caminhar.
15h30 – Meditação sentada.
16h15 – Meditação a caminhar.
17h – Chá / recolhimento / silêncio.
19h30 – Meditação/Puja da noite e perguntas/respostas.


Os Oito Preceitos durante o período do Retiro, são:
———————————————————————
1. Não violência (respeito pela vida): não matar intencionalmente nenhuma criatura viva.
2. Confiança (honestidade): não tirar para si aquilo que não lhe for dado.
3. Castidade (contentamento): refrear-se de qualquer atividade sexual intencional.
4. Palavra certa (boa fé): evitar a fala maldosa, falsa ou abusiva.
5. Sobriedade (lucidez): não tomar drogas nem bebidas intoxicantes.
6. Renúncia (frugalidade): não comer depois do meio dia.
7. Refreio (modéstia): não usar adornos ou roupa pouco modesta; não tocar ou ouvir música.
8. Estado de alerta (vigilância): não dormir em demasia.

Trazer roupa confortável não muito justa para meditar.


Com os melhores cumprimentos de Paz e Metta,
Bem Haja
e
BOM RETIRO

____________________________________________
VALORES ÉTICOS (desde dia 23 ao final do dia até 25):

FIXOS (fim-de-semana):
Alimentação: 25
+
Alojamento (2 noites):
· Tenda: 6
· Camarata: 12
· Quarto duplo (Cama casal com wc partilhado): 40

RETIRO: Donativo Consciente
O valor doado reverte a favor do Mosteiro Budista Sumedharama e dos serviços que presta à comunidade.
Saiba mais sobre Sumedharama em: http://sumedharama.pt/

______________________________________

LOCAL: Quinta dos Salgueiros - Idanha-a-Nova

https://www.google.pt/maps/place/39°54'30.0%22N+7°14'23.8%22W/@39.9083333,-7.240888,303m/data=!3m2!1e3!4b1!4m5!3m4!1s0x0:0x0!8m2!3d39.908331!4d-7.239956?hl=pt-PT

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES
:
email _ projecto.regenerar@gmail.com



Campo de Férias Páscoa 2017


John Muir disse uma vez: “Milhares de pessoas cansadas, estressadas e exageradamente civilizadas estão a começar a descobrir que ir às montanhas é como ir para casa: a natureza é uma necessidade.”

Tanto adultos como crianças estão hoje menos ligados à Natureza vendo-a como algo distante, mais do que fisicamente, até e fundamentalmente na familiaridade, no contacto, no conhecimento, no saber estar e viver lá confortável, sem medo, em alegria e aprendizagem constante.
Com esta iniciativa pretendemos dotar os jovens de conhecimentos base, ferramentas e habilidades de sobrevivência, que aliadas à criatividade e conexão inatas e em contexto de cooperação, lhes permitam sentir-se tão à vontade e seguros na Natureza como na sua própria casa. Afinal, é isso mesmo que ela é.

REWILD ~ CAPACITAR ~ COOPERAR ~ CRIAR


Monitores:
Tito Lopes
Rui Pessoa Vasques
Daniel Beça


Participação:
210€
Regime de acampamento
O valor inclui: Alimentação e transporte a partir de Lisboa


PROGRAMA

1.      Recepção | Camping
1.1.   Montagem de tendas
1.2.   Construção de estruturas de sombra
1.3.   Realização da fogueira de tribo (apresentações, animal protector, histórias da natureza)
1.4.   Música à volta da fogueira
1.5.   Jogos de apresentação

2.      Aprender a ver sinais
2.1.   Pistas de animais na Natureza
2.2.   Como encontrar alimento selvagem
2.3.   Como encontrar água
2.4.   Fogueira | Cozinhar alimentos
2.5.   Orientação geográfica
2.6.   Leitura e compreensão da Natureza

3.      Construir abrigos
3.1.   Construir uma cabana com troncos e canas
3.2.   Construir uma casa em barro
3.3.   O telhado verde
3.4.   Os diferentes tipos de materiais e técnicas para abrigos de emergência

4.      A produção de alimentos
4.1.   Semear e plantar a horta
4.2.   Como gerir a horta
4.3.   As árvores de fruto
4.4.   Um viveiro florestal

5.      Relacionamentos sociais
5.1.   O reforço do eu e consciência pessoal
5.2.   O reforço do respeito ao outro e espírito de grupo
5.3.   O conselho de tribo e capacidade de decisão conjunta
5.4.   Trabalhar em cooperação

6.      A arte e criatividade na Natureza
6.1.   Cores e padrões naturais
6.2.   Escultura na Natureza
6.3.   Pintura e gravura com pigmentos naturais
6.4.   Land art
6.5.   O desenho e leitura da paisagem natural

7.      Energias: como usar
7.1.   A nossa energia pessoal
7.2.   A energia do sol
7.3.   A energia do vento
7.4.   A energia da água
7.5.   A energia do fogo

__________________________

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES:
(+351) 966 237 047 - Tito
projecto.regenerar@gmail.com