Floresta de Alimentos em permacultura

A floresta de alimentos em permacultura é um sistema de produção que utiliza a sabedoria inerente e milenar das florestas naturais pela nossa compreensão das relações benéficas que existem entre plantas e também outros organismos vivos, para criar e alimentar ecossistemas que cultivam alimentos para uso humano. Este método também é chamado floresta comestível, e jardins de design completo. Nos trópicos, as florestas de alimentos têm sido utilizados há mais de 1.000 anos. 

Como funcionam?

Estes sistemas estão sobretudo assentes nas práticas de "policultura" contrariando as convencionais de produção em monocultura. Policultura resulta e baseia-se dinâmica da auto-organização de comunidades de plantas compostas de várias espécies. Nesta abordagem, as plantas são cultivadas em grupos, que apoiam uns aos outros através de várias funções diferentes. Guilds são um grupo de plantas e animais se relacionam em equilíbrio e harmonia e que também são benéficas para os seres humanos em simultâneo, criando habitat e alimentos para nós e muitos outros seres vivos.

Para perceber o conceito de uma floresta de alimentos, vamos analisar os tipos de relações que podem coexistir na relação com uma única árvore. Por exemplo, por baixo de uma macieira pde-se plantar trevo da pérsia e vermelho para ajudar a fixar o nitrogênio, que vai actuar como um reservatório dinâmico de nutrientes, torna-os disponíveis para outras plantas. Cravos tunicos, erva ciderira, alho e cebola podem ser cultivados nos espaços para repelir pragas indesejáveis ​​e controlar ervas na base da árvore. Todos trabalham em harmonia para beneficiar o outro, e  no final, a macieira beneficia com todos.

Embora nem todas as plantas sejam directamente comestíveis por seres humanos, todas podem ter algum tipo de efeito benéfico (atrair polinizadoresd, medicinais, tintureiras etc) e principalmnet, funcionam em conjunto para enriquecer  e regular os ciclos da natureza para criar uma saudável  paisagem florestal, produtora de alimentos em permacultura.

Razões para fazer esta opção?

Os benefícios da criação de uma floresta de alimentos permacultura são muitos! A mais óbvia pode ser que, se devidamente planejado, uma floresta de alimentos em permacultura praticamente produz e mantém-se fertil e saudavel sem grande intervenção. ao criar-se, também se cria um habitat para a fauna selvagem local, que faz controle de pragas, polinização e oportunidades de observação da vida selvagem. As florestas de alimentos em permacultura não requerem fertilizantes químicos ou pesticidas, pelo que produzem alimentos muito mais saudáveis

Os benefícios podem incluir outros produtos tais como fibras, combustíveis, adubos verdes, materiais para artesanato, alimento para animais domésticos e pode ajudar a reduzir o consumo de água no na quinta.

A sua terra é um reflexo da sua visão do mundo. Esta abordagem mais harmoniosa para alimentar as pessoas também fornece alimento para a terra pois permite que  para conseguir um meio de mais independência do mais destrutivo modernos métodos agrícolas, enquanto ao mesmo tempo, proporciona uma relação mais directa e profunda na compreensão da interdependência que é necessário para suportar toda a vida natural à superfície da terra, em que tudo está ligado de alguma forma.

Como se constitui uma floresta de alimentos em Permacultura?

 Embora todos os tipos relações e dinâmicas que acontecem na floresta de alimentos sejam diferentes, há certas partes e padrões que são encontrados e comuns a todos eles. Estes são baseados em observações de relações naturais encontrados dentro da floresta e dos sistemas florestais. Para começar, a maioria dos habitats da floresta têm algumas das seguintes estruturas que funcionam em diferentes níveis: 
  • um estrato formado por árvores de grande porte, 
  • um estrato de árvore de pequeno porte e grandes arbustos, 
  • um estrato de pequeno arbusto, 
  • um estrato herbáceo, 
  • uma estrato de solo fértil com muita matéria orgânica em decomposição
  • muitas vezes algum tipo de e plantas trepadeiras que crescem verticalmente.
Estas plantas não só crescem em diferentes níveis acima do solo, mas também têm raízes que atingem diferentes profundidades e, portanto, não só minimizam a concorrência, mas também ajudam-se mutuamente a nutrir entre si.



Há muitas combinações de plantas que poderiam ser usados ​​para criar uma floresta de alimentos. 

Para o Estrato superior,  pode-se plantar árvores frutíferas, como maçãs, pêras, pêssegos ou produtores de frutos secos, como nozes, avelãs, castanhas, amêndoas. Entre estas podem crescer variedades de árvores pequenas de frutas como ameixas, nectarinas, maçãs e cerejas. Em seguida, entre estas ultimas podem ser plantados arbustos como avelã, amora, framboesa, groselha, physalis, kiwi, medronho e uvas. 

 Para cobertura geral do solo usam-se trevos vermelho e branco, tremoço, feijão frade, grão de bico, favas e morangos. Como para plantas trepadeiras plantam-se ervilhas, feijões e outros que irão enrolar nos troncos das árvores.

Plantas como o alho, a cebolinha, narcisos, jacintos e cravos tunicos plantam-se em torno da base da árvore para suprimir a erva e repelir pragas em potencial. Milefólio, chicória, consolda, são todos os acumuladores grande dinâmica para ajudar o crescimento das plantas e árvores ao seu redor. Trevos, as ervilhas, feijão, tremoço e outros membros da família das leguminosas fixadoras de nitrogênio são óptimas, tornando o azoto existente no ar e no solo acessível às árvores e plantas ao redor. Plantas, tais como alcachofras, consolda e bardana são muito boa cobertura de solos e acontece terem igualmente partes comestíveis. è igualmente importante considerar também arbustos  e pequenas árvores fixadoras de nitrogênio, como a alfarrobeira, crataegus e várias espécies de eleagnus, que produzem frutos comestíveis em simultâneo.

Como começar?
Para começar deve primeiro observar muito bem as condições no local que deseja criar uma floresta de alimentos. Pergunte-se:
  • O que já existe?
  • Que tipo de solo temos? Qual é o pH?
  • Que tipo de plantas se adaptam bem ao clima, geografia e solos existentes?
  • Que tipo de árvores e plantas gostaria de ter na floresta de alimentos permacultura?
  • Qual a exposição solar em diferentes períodos do dia e durante diferentes estações do ano?
  • Quais as áreas disponíveis ?
  • Existem áreas mais húmidas e mais sombrias no local? O que poderia crescer melhor lá?
  • Existem áreas mais ensolaradas e secas no local? O que poderia crescer melhor lá?
  • Se plantar uma árvore alta aqui, vai ensombrar outras plantas que precisam de muito sol?
Caso todas estas questões sejam demasiado complexas ou inacessíveis para si, talvez seja melhor nesta fase inicial contactar um facilitador em Permacultura que ajude nesta primeira abordagem e lhe ensine como encaminhar o processo

2 comentários:

su disse...

Maravilhosa tua partilha a quantos estão de coração à escuta 💙

marta valador disse...

Muito bom. Quero aprender e começar a fazer já mas não tenho muita disponibilidade economia. Vou aproveitar este texto e estuda-lo bem. Onde posso recolher mais informação? Obrigada