A Importância das Árvores nas ruas da cidade

Assim como o fornecimento de energia eléctrica com qualidade contribui decisivamente para o desenvolvimento social e económico, a arborização urbana constitui elemento de suma 
importância para a obtenção de níveis satisfatórios de qualidade de vida.

Dentre os vários aspectos positivos da arborização urbana, destacam-se a importância das árvores como filtro ambiental, reduzindo os níveis de poluição do ar através da fotossíntese; a mitigação da poluição sonora pelos obstáculos que oferece à propagação das ondas sonoras; o equilíbrio da temperatura ambiente graças à sombra e evapo-transpiração que realiza; a redução da velocidade dos ventos; a redução do impacto das chuvas; a atracção para a avifauna e, sobretudo, a harmonia paisagística e ambiental do espaço urbano.

No entanto, a relação entre a arborização e os demais elementos do espaço urbano vem, em boa parte dos casos, sendo processada de modo extremamente conflituoso, no qual cada um 
dos indivíduos passa a representar obstáculo à presença do outro.

Isto porque a arborização urbana, implantada de forma mal planejada ou mal conduzida, pode acarretar, dentre outros, os seguintes problemas: interrupções no fornecimento de energia; perda da eficiência da iluminação pública; entupimento de calhas e esgotos; danos aos muros e telhados e dificuldades para a passagem de veículos ou pedestres. Tais aspectos fazem com que a actividade de poda passe a constituir-se em exercício indispensável à manutenção de razoáveis padrões urbanísticos.

Entretanto, esta medida vai, pouco a pouco, apresentando resultados menos eficientes. Isto porque tais podas, realizadas de forma aleatória e sem o emprego de ferramentas e técnicas adequadas, acabam por induzir ao crescimento desordenado e acelerado das espécies vegetais.

Portanto, a moderna abordagem da questão da arborização urbana não mais está restrita a função meramente acessória dentre os elementos que compõem o espaço urbano; sua importância, de carácter estrutural, deve estar presente no planeamento integrado da cidade e o modelo adoptado, com seus prós e contras, uma opção definida pela sociedade.

Conhecendo então as vantagens oferecidas por uma boa gestão na arborização, se faz necessário lembrar que a participação da população é vital. Portanto, cuidemos bem de nossas árvores e plantemos outras mais, em pró de nossa própria qualidade de vida.

Este tema em si levanta uma outra questão que tem a ver com a quase inexistência de espaços verdes em Lisboa (já declarada como uma das cidades mais impermeabilizadas da Europa) pois de cada vez que surge um baldio em que poderia ser instalado um espaço verde de lazer para a comunidade (obrigada a refugiar-se em casa, centros comerciais e cafés) logo este será inevitavelmente ocupado por mais edifício obsoleto e inútil (considerando o já actual excesso de oferta de casas em Lisboa e todo o pais) ou um parque de estacionamento privado.
Portanto, hoje e sempre, a decisão publica sempre rendida aos interesse e pressões do lobbies económicos e da especulação imobiliária.

Mas este assunto dá para um n ovo artigo com atenção especial,
.

Sem comentários: